Uma comitiva da Procuradoria Geral do Estado da Bahia realizou na manhã de hoje (04), uma visita técnica ao Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia SENAI-CIMATEC. O grupo foi recepcionado por Ricardo Alvarez Alban, presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB, Leone Andrade, Diretor de Tecnologia & Inovação, Roberto Muniz, ex-senador e consultor, Adhvan Furtado, Gerente Executivo de Computação e outros membros da equipe técnica da empresa que, na ocasião, apresentaram a estrutura física do Cimatec e explicaram sobre o funcionamento da unidade e a importância do empreendimento para o Estado da Bahia.

A Procuradoria Geral do Estado celebrou, em fevereiro deste ano, um convênio de cooperação com a SENAI-CIMATEC visando à formação, aperfeiçoamento e especialização técnica do quadro de pessoal, ao desenvolvimento gerencial e institucional e ao fortalecimento de redes interinstitucionais nacionais e regionais que integrem, mediante a implementação de ações, programas, projetos e atividades de interesse comum dos partícipes na área do direito e da gestão de projetos de Ciência, Tecnologia e Inovação, especial na elaboração de estudos, produção de conhecimento e disseminação em torno da implantação dos Marcos Legais Federal e Estadual da Ciência Tecnologia e Inovação.

Ao longo de 9 reuniões técnicas, envolvendo 22 pessoas dentre técnicos e tomadores de decisão, foram selecionados 4 projetos prioritários para serem executados entre 2021 e 2023, iniciando com a automatização de demandas de massa dos juizados especiais.

Integraram a comitiva da visita técnica de hoje, além do procurador geral do Estado, Paulo Moreno, da Procuradora Geral Adjunta, Luciane Croda, os procuradores Ailton Cardozo da Silva Junior, Fernanda de Santana Villa, José Carlos Coelho Vasconcelos, Lízea Magnavita Maia, Frederico Valverde, e os diretores Cícero Andrade Rocha Filho e Eduardo Jorge Rodrigues Brandão.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia, Ricardo Alban, “a parceria consistirá na disponibilização de acesso a conhecimento, informação e sistemas, além de transferência de tecnologia”.

O procurador geral do Estado, Paulo Moreno, afirmou que o projeto “com certeza poderá ser o embrião na Bahia de um ecossistema de inovação tecnológica tendo como base a utilização de inteligência artificial e supercomputação para a gestão jurídica no âmbito da advocacia pública e do sistema de justiça, com impactos regionais e nacionais importantes”.